Ausência de helicobacter spp. Em lesões gástricas de suínos pelo método warthin-starry

  • Natalia Viana Tamiasso
  • Juliana de Castro Cosme
  • Marcus de Freitas Ferreira
  • Louisiane de Carvalho Nunes
Palavras-chave: etiologia, helicobacteriose, paraqueratose, úlcera gástrica

Resumo

Ao considerar o impacto das úlceras gástricas na saúde animal, as perdas econômicas que
podem ser geradas por elas, a falta de dados sobre a etiologia do processo e a possibilidade de
estabelecer ações preventivas, objetivou-se com este estudo verificar lesões gástricas em
suínos em idade de abate e relacionar os resultados com infecção por Helicobacter spp.
Foram analisados estômagos suínos que apresentaram lesões em região de pars esophagea. A
coleta foi realizada no matadouro frigorífico de Muniz Freire, Espírito Santo, sob Serviço de
Inspeção Estadual. Ao verificar a existência de lesões gástricas, o órgão era avaliado e
classificado macroscopicamente. Após, quatro fragmentos de cada estômago foram coletados:
região de pars esophagea; região de corpo; região de fundo e região pilórica. O material
obtido foi encaminhado ao Setor de Patologia Animal da Universidade Federal do Espírito
Santo, onde foi submetido ao processamento de rotina para inclusão em parafina e
microtomia. Para cada bloco de parafina foram confeccionadas duas lâminas, sendo uma
corada pelo método Hematoxilina-Eosina e outra corada pelo método Warthin-Starry. As
lâminas foram classificadas conforme as lesões microscópicas e avaliadas para presença de
bactérias do gênero Helicobacter. Após obtenção dos dados, os resultados foram submetidos à
análise descritiva. Todos os estômagos apresentavam algum grau de lesão. Apenas um
estômago não apresentou lesão na porção glandular. Ao analisar a lesão microscópica de
paraqueratose, verificou-se presença dessa alteração na porção aglandular de oito estômagos.
Não houve paraqueratose em nenhuma região glandular. Quatro estômagos apresentaram
ulceração na microscopia. Todos os estômagos apresentaram algum grau de infiltrado
inflamatório mononuclear. Em nenhuma amostra foi possível visualizar bacilos do gênero
Helicobacter. As principais lesões gástricas observadas em suínos em idade de abate foram
paraqueratose, ulcerações e infiltrado inflamatório, sem relação com a infecção por bactérias
do gênero Helicobacter.

Referências

1. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Suínos [Internet]. Brasília: MAPA;
2015 [cited 2015 Jul 25]. Available from: www.agricultura.gov.br/animal/especies/suinos
2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Abate de animais, produção de leite, couro e
ovos [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2015 [cited 2015 Jun 25]. Available from:
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/a
bate-leite-couro-ovos_201501_1.shtm
3. Pôrto RNG, Sobestiansky J, Matos MPC, Meirinhos MLG. Aspectos histopatológicos do
sistema urinário de matrizes suínas descartadas. Cienc Anim Bras. 2004;5(2):109-12.
4. Costa OAD, Costa MJRP, Ludke JV, Coldebella A, Kich JD, Peloso JV, et al. Tempo de
jejum dos suínos no manejo pré-abate sobre a perda de peso corporal, o peso do conteúdo
estomacal e a incidência de úlcera esofágica-gástrica. Cienc Rural. 2008;38(1):199-205.
5. Lippke RT, Kummer R, Marques BMFPP, Mores TJ, Gonçalves MAD, Barcellos DESN.
Monitoria sanitária em suinocultura. Acta Sci Vet. 2009;37(1):133-46.
6. Eisemann JH, Argenzio RA. Effects of diet and housing density on growth and stomach
morphology in pigs. J Anim Sci. 1999;77(10):2709-14.
7. Oliveira SJ, Bernardi RT, Mottin VD, Hepp D, Passos DT. Observação de diferentes graus
de lesões em estômagos e úlcera gástrica em leitões de creche. Isolamento de Arcobacter
cryaerophilus. Acta Sci Vet. 2009;37(2):119-23.
8. Kavanagh N. Gastric ulcers in pigs. In Pract. 1994;16:209-13.
9. Sant’ana DS, Oliveira MT, Alves LR, Reis SLB, Antunes RC, Carrazza LG, et al.
Influência do jejum na incidência de lesão na mucosa esofágica-gástrica, peso de carcaça
quente e peso de estômagos em suínos. Pubvet. 2011;5(10):1-11.
10. Yamasaki L, Assis FMS, Rosseto VJV, Bracarense APFRL. Lesões gástricas em suínos:
ocorrência e relação com o gênero, peso ao abate e presença de Helicobacter spp. Semina
Cienc Agrar. 2006;27(3):463-70.
11. Szeredi L, Palkovics G, Solymosi N, Tekes L, Méhesfalvi J. Study on the role of gastric
Helicobacter infection in gross pathological and histological lesions of the stomach in
finishing pigs. Acta Vet Hung. 2005;53(3):371-83.
12. Silveira RL, Cruz ACM, Weber FAGC, Degani VAN, Abílio EJ, Carvalho ECQ.
Helicobacteriose em leitões: imuno-histoquímica em amostras colhidas por meio de
gastroscopia. Arq Bras Med Vet Zootec. 2014;66(6):1681-6.
13. Bal HS, Ghoshal NG. Histomorphology of the torus pyloricus of the domestic pig (Sus
scrofa domestica). Zentralbl Veterinarmed C. 1972;1(4):289-98.
14. Costa OAD, Coldebella A, Costa MJRP, Faucitano L, Peloso JV, Ludke JV, et al.
Período de descanso dos suínos no frigorífico e seu impacto na perda de peso corporal e
em características do estômago. Cienc Rural. 2006;36(5):1582-8.
15. Swaby H, Gregory NG. A note on the frequency of gastric ulcers detected during postmortem examination at a pig abattoir. Meat Sci. 2012;90(1):269-71.
16. Mendes EN, Queiroz DMM, Rocha GA, Nogueira AMMF, Carvalho ACT, Lage AP, et
al. Histopathological study of porcine gastric mucosa with and without a spiral bacterium
(“Gastrospirillum suis”). J Med Microbiol. 1991;35(6):345-8.
17. Jubb KVF, Kennedy PC, Palmer N. The lower alimentary system. In: Jubb KVF,
Kennedy PC, Palmer N. Pathology of domestic animals. 3a ed. London: Academic Press;
1985. p.42-49.
18. Guerra PR, Trindade AB, Dias V, Cardoso MRI. Espécies do gênero Helicobacter de
importância em medicina veterinária: revisão de literatura. Vet Foco. 2013;10(2):229-43.
19. Baele M, Pasmans F, Flahou B, Chiers K, Ducatelle R, Haesebrouck F. Non-Helicobacter
pylori helicobacters detected in the stomach of humans comprise several naturally
occurring Helicobacter species in animals. FEMS Immunol Med Microbiol.
2009;55(3):306-13.
20. Hellemans A, Decostere A, Duchateau L, De Bock M, Haesebrouck F, Ducatelle R.
Protective immunization against “Candidatus Helicobacter suis” with heterologous
antigens of H. pylori and H. felis. Vaccine. 2006;24(14):2469-76.
21. Baele M, Decostere A, Vandamme P, Ceelen L, Hellemans A, Mast J, et al. Isolation and
characterization of Helicobacter suis sp. nov. from pig stomachs. Int J Syst Evol
Microbiol. 2008;58(Pt6):1350-8.
22. Vermoote M, Vandekerckhove TTM, Flahou B, Pasmans F, Smet A, De Groote D, et al.
Genome sequence of Helicobacter suis supports its role in gastric pathology. Vet Res.
2011;42(1):51.
23. Flahou B, Haesebrouck F, Pasmans F, D’Herde K, Driessen A, Van Deun K, et al.
Helicobacter suis causes severe gastric pathology in mouse and Mongolian gerbil models
of human gastric disease. PlosOne. 2010;5(11):e14083.
Publicado
30-06-2017
Como Citar
Viana Tamiasso, N., de Castro Cosme, J., de Freitas Ferreira, M., & de Carvalho Nunes, L. (2017). Ausência de helicobacter spp. Em lesões gástricas de suínos pelo método warthin-starry. Veterinária E Zootecnia, 24(2), 336-344. Recuperado de https://rvz.emnuvens.com.br/rvz/article/view/315
Seção
Artigos Originais