DERMATOMICOSE EM CÃO CAUSADA POR Curvularia sp.: RELATO DE CASO

  • Darilha Mariana Rodrigues
  • Rodrigo de Oliveira Mattosinho
  • Bruna Letícia Domingues Molinari
  • Juliana Evangelista Bezerril
  • Paulo Fernandes Marcusso Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Thalita Regina Petrillo
Palavras-chave: Dermatopatia, canino, fungo, diagnóstico, tratamento

Resumo

As dermatomicoses são infecções fúngicas que afetam a pele e os folículos pilosos de cães e gatos, causadas principalmente por dermatófitos, sendo observado principalmente em animais jovens e imunossuprimidos. Caracterizada clinicamente pela presença de lesões alopécicas circulares, encobertas por escamas e crostas. Sua presença assídua na clínica de pequenos animais, não excluí sua complexidade para concluir diagnóstico, sendo necessário uma gama de exames complementares, assim como a cultura fúngica, exame direto e biópsia de pele, que fazem parte de exames complementares de extrema importância e eficácia, auxiliando no diagnóstico e tratamento das dermatomicoses. Os fungos do gênero Curvularia spp., são não-dermatófitos e podem ser encontrados com grande frequência em diferentes substratos vegetais, como saprofíticos, podendo ainda ser isolados a partir do solo e do ar, causando diversas doenças em animais, humanos e vegetais, sendo considerados patógenos oportunistas. A falta de informação sobre tal afecção cutânea, assim como a investigação na clínica médica e na rotina clínica de pequenos animais, mostra a importância de considerar esse patógeno nos casos de dermatomicoses.  O presente trabalho relata dermatomicose em cão causada por Curvularia spp. tendo como objetivo demonstrar as diferentes formas de diagnóstico para tal enfermidade, a fim de instituir terapêutica medicamentosa visando resultados benéficos e prognóstico favorável.

Referências

1. POUTAHIDIS, T. et al. Mycotic encephatitis and nephritis in a dog due to infection with Cladosporium cladosporioides. Journal of Comparative Pathology, v.140, p.59-63, 2009. Disponível em: . Acesso em 02 de março de 2016.
2. BASSO, P.C. et al. Dermatomicose e ceratite micótica causada por Exophiala sp. em um cão. Ciência Rural, v.38, n.7, p.2063-2067, 2008. Disponível em: . Acesso em 02 de março de 2016.
3. ANTONIASSI, N. A. B; et al. Feohifomicose cutânea causada por Curvularia sp. em um equino. Acta Scientiae Veterinariae. v.38. n. . p. 73-76. 2010.
4. DUARTE, W. F. et al. Taxonomic assessment and enzymes production by yeasts isolated from marine and terrestrial Antarctic samples. Extremophiles, 17(6), 1023–35, 2013.
5. BRILHANTE, R. S. N.; et. al. High rate of Microporum canis feline and canine dermatophytoses in Northeast Brazil: Epidemiological and diagnostic features. Mycopathologia, v.156, n.4, p.303-8, 2003.
6. SIDRIM J.J.C., ROCHA, M.F.G., Micologia Médica à luz de autores contemporâneos. Rio de Janeiro: Guanaba Koogan, p. 135-161. 2004.
7. HARGIS, A. M.; GINN, P. E. O Tegumento. In: McGAVIN, M. D.; ZACHARY, J. F. Bases da Patologia em Veterinária. 5ª ed. Rio de Janeiro. Elsevier. Cap. 17. p. 915 - 1012. 2013.
8. MORIELLO, K. A. Diagnostic Techniques for Dermatophytes. Oxford, v. 36. p.89-114. 2006
9. MANCIANTI, F.; et al. Environmental detection of Microsporum canis arthrospores in the households of infected cats and dogs. Journal of Feline Medicine and Surgery, v.5, p.323-328, 2003.
10. DUARTE, A.C. Nutrição Imunomoduladora. In: Semiologia Imunológica Nutricional. Rio de Janeiro: Axcel Books; p.138-144. 2003.
Publicado
29-03-2021
Como Citar
1.
Mariana Rodrigues D, de Oliveira Mattosinho R, Letícia Domingues Molinari B, Evangelista Bezerril J, Marcusso PF, Regina Petrillo T. DERMATOMICOSE EM CÃO CAUSADA POR Curvularia sp.: RELATO DE CASO. RVZ [Internet]. 29º de março de 2021 [citado 13º de maio de 2021];28:1-. Disponível em: https://rvz.emnuvens.com.br/rvz/article/view/521
Seção
Relatos de Casos

Most read articles by the same author(s)