MANEJO ECOFISIOLÓGICO DAS GRAMÍNEAS Megathyrsus maximus (Panicum maximum) cv. TANZÂNIA, MOMBAÇA E MASSAI

  • Rafael Kill-Silveira Universidade do Estado de Mato Grosso
Palavras-chave: Forragem. Pastejo. Pasto. Silagem.

Resumo

Objetivou-se com esta revisão apresentar informações práticas referentes ao manejo de algumas subespécies de gramíneas tropicais da espécie Megathyrsus maximus e sua relação com a composição bromatológica e resposta de crescimento a adubação e ao processo de colheita pelos animais, bem como o efeito deste sobre a estrutura do pasto. Devido a sazonalidade da intensidade luminosa e principalmente do regime de chuvas é importantes esclarecer que para os sistemas de produção a pasto (sistema de lotação contínua ou intermitente) devem ser executadas estratégias para o período de entressafra (secas), estas estratégias podem ser de suplementação (com concentrado e/ou volumoso), variação da taxa de lotação, ou ambas. Independentemente de outras variáveis para o capim-Massai e para as outras cultivares estudadas o período de colheita ideal se dá em plantas com 3,5+0,5 folhas expandidas. De maneira geral para Megathyrsus maximus cv Tanzânia sob regime de lotação contínua e carga animal variável, recomenda-se a altura de pastejo entre 40 e 60 cm, e para lotação intermitente (pastejo rotacionado) o ideal é a entrada com +65 cm de dossel (parte aérea) e 25 a 30 cm para o resíduo pós pastejo. Ao ser utilizado com o silagem esta mesma cultivar deve ser cortada entre 42 e 63 dias após o plantio. Para o capim-Mombaça em regime de lotação intermitente a entrada dos animais deve ocorrer com altura aproximada de 80 cm e saída de 40 cm, e para lotação contínua a altura ideal é de 50 a 75 cm. O manejo correto das pastagens é um processo complexo devido às variações das condições climáticas ao longo do ano, diferentes tipos de solo (com características físicas e químicas diferentes), categorias e hábitos de pastejo das diferentes espécies animais, e ainda à grande diversidade de cultivares de capim que são lançados sem estudos necessários para o conhecimento do comportamento destas espécies e as aplicações práticas para a perfeita compreensão dos manejadores. Adicionalmente podemos destacar ainda a falta de assessoria técnica para o aumento da eficiência produtiva essencial para que os produtores saiam da condição de apenas exploradores dos recursos disponíveis necessários para a produção animal.

Referências

1.Barbosa RA, Nascimento JR D, Euclides VPB, et al. Capim-tanzânia submetido a combinações entre intensidade e frequência de pastejo. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 2007; 42:329-340.
2. Neres MA, Oliveira PSR, Castagnara DD, et al. Características produtivas, estruturais e bromatológicas dos capins Tifton 85 e Piatã e do feijão-guandu cv. Super N, em cultivo singular ou em associação. Ciência Rural. 2012;42:862-869.
3. Leng RA. Decline in available world resources; implications for livestock production systems in Asia. Livestock Research for Rural Development. 2008;20:1-8, 2008.
4. Cândido MJD, Silva RG, Neiva JMN, et al. Fluxo de biomassa em capim-tanzânia pastejado por ovinos sob três períodos de descanso. Revista Brasileira de Zootecnia. 2006;35:2234-2242.
5. Zanine AM, Santos EM, Ferreira DJ. Possíveis causas da degradação de pastagens. Revista Electrónica de Veterinaria. 2005; 6:1- 23
6. Castro GHF, Rodriguez NM, Gonçalves LC, et al. Características produtivas, agronômicas e nutricionais do capim-tanzânia em cinco diferentes idades ao corte. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia. 2010;62:654-666.
7. Oliveira TK, Macedo RLG, Santos IPA, et al. Produtividade de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf cv. marandu sob diferentes arranjos estruturais de sistema agrossilvipastoril com eucalipto. Ciência e Agrotecnologia. 2007;31:748-757.
8. Alexandrino E, Candido MJD, Gomide JA. Fluxo de biomassa e taxa de acúmulo de forragem em capim |Mombaça mantido sob diferentes alturas. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal. 2011;12:59-71.
9. Cutrim JR JAA, Cândido MJD, Miranda BSV, et al. Características estruturais do dossel de capim-tanzânia submetido a trêsfrequências de desfolhação e dois resíduos pós-pastejo. Revista Brasileira de Zootecnia. 2011;40:489-497.
10. Oliveira PSR, Castagnara DD, Gonçalves JR AC, et al. Teores de macrominerais em Panicum maximum cvs. massai e mombaça. Synergismus scyentfica. 2009;4:1.
11. Freitas KR, Rosa B, Ruggiero JA, et al. avaliação da composição químico–bromatológica do capim mombaça (Panicum maximum jacq.) submetido a diferentes doses de nitrogênio. Bioscience Journal. 2007;23:1-10.
12. Silva AG, França AFS, Miyagi ES, et al. Frações proteicas do capim-mombaça submetido a doses de nitrogênio em duas alturas de corte. Arquivo Braileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia. 2009;61:1148-1155.
13. Ribeiro EG, Fontes ACC, Palieraqui JGB, Martins CE, Cóser AC, Sant´Ana NF. Influência da irrigação durante as épocas seca e chuvosa na taxa de lotação, no consumo e no desempenho de novilhos em pastagens de capim-elefante e capim-mombaça. R. Bras. Zootec. 2008; 37:9
14. Janusckiewicz AR, Magalhães MA, Ruggieri AC, et al. massa de forragem, composição morfológica e química de capim-tanzânia sob diferentes dias de descanso e alturas de resíduo pós-pastejo. Bioscience Journal. 2010;26:161-172.
15. Volpe E, Marchetti ME, Macedo MCM. et al. Acúmulo de forragem e características do solo e da planta no estabelecimento de capim-massai com diferentes níveis de saturação por bases, fósforo e nitrogênio. Revista Brasileira de Zootecnia. 2008;37:228-237.
16. Zanine AM, Dias PF, Souto SM, et al. Avaliação do capim-tanzânia (Panicum maximum) por meio de métodos de análise Multivariada. Revista Brasileira de Saúde Produção Animal. 2008;9:179-189.
17. Souza MRF, Pinto JC, Oliveira IP, et al. Produção de forragem do capim-tanzânia sob intervalosde corte e doses de potássio. Ciência Agrotecnica. 2007;31:1532-1536.
18. Vitória EL, Fernandes HC, Teixeira MM, et al. Correlação linear e espacial entre produtividade de capim-mombaça e atributos físicos solo em função do sistema de manejo. Revista Agrotecnologia. 2011;2:30-43.
19. Bonelli EA, Bonfim-Silva EM, Cabral CEA, et al. Compactação do solo: Efeitos nas características produtivas e morfológicas dos capins Piatã e Mombaça. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. 2011;15:264–269.
20. Canto MW, Jobim CC, Gasparino E, et al. Características do pasto e acúmulo de forragem em capim-tanzânia submetido a alturas de manejo do pasto. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 2008;43:429-435.
21. Difante GS, Euclides VPB, Nascimento JR D, et al. Desempenho e conversão alimentar de novilhos de corte em capimtanzânia submetido a duas intensidades de pastejo sob lotação rotativa. Revista Brasileira de Zootecnia. 2010;39:33-41.
22. Zanine AM, Nascimento JR D, Santos MER, et al. Características estruturais e acúmulo de forragem em capim-tanzânia sob pastejo rotativo. Revista Brasileira de Zootecnia. 2011;40:2364-2373.
23. Macedo CHO. Alexandrino E, Jakelaitis A, Vaz RG, et al. Características agronômicas, morfogênicas e estruturais do capim Panicum maximum cv. Mombaça sob desfolhação intermitente. Revista Brasileira de Saúde Produção Animal. 2010;11:941-952.
24. Gomide CAM, Gomide JA, Alexandrino E. Características estruturais e produção de forragem em pastos de capim-mombaça submetidos a períodos de descanso. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 2007;42:1487-1494.
25. Palhano AL, Carvalho PCF, Moraes JRDA, et al. Características do processo de ingestão de forragem por novilhas holandesas em pastagens de capim-mombaça. Revista Brasileira de Zootecnia. 2007;36:1014-1021.
26. CARNEVALLI, R.A. Dinâmica da rebrotação de pastos de capim-Mombaça submetidos a regimes de desfolhação intermitente. Tese (Doutorado em Agronomia – Ciência Animal e Pastagens), Piracicaba, ESALQ, 2003
27. Stabile SS, Salazar DR, Jank L, et al. Características de produção e qualidade nutricional de genótipos de capim-colonião colhidos em três estádios de maturidade. Revista Brasileira de Zootecnia. 2010;39:1418-1428.
Publicado
17-07-2020
Como Citar
Kill-Silveira, R. (2020). MANEJO ECOFISIOLÓGICO DAS GRAMÍNEAS Megathyrsus maximus (Panicum maximum) cv. TANZÂNIA, MOMBAÇA E MASSAI. Veterinária E Zootecnia, 27, 1-13. https://doi.org/10.35172/rvz.2020.v27.421
Seção
Artigos de Revisão