Análise ambiental, sanitária e econômica de um sistema de tratamento de resíduos sólidos e efluentes em uma granja de suínos

  • Evelyne Cazarotto Farezin
  • Juliana Sarubbi
  • Jean Louis Rabello de Morais
  • Waldemar Hazoff Junior
  • Francisco Rafael Martins Soto
Palavras-chave: compostagem, biodigestão anaeróbica, biogas, biofertilizante, coliformes

Resumo

Os dejetos suínos apresentam potencial poluidor do ponto de vista ambiental e sanitário devido à alta carga de matéria orgânica. Entretanto, quando devidamente tratados, podem apresentar potencial para a geração de produtos de valor agregado. Objetivou-se realizar uma análise ambiental, sanitária e econômica de um sistema de tratamento de resíduos sólidos e efluentes (STRSE) em uma granja tecnificada de suínos de ciclo completo. O STRSE foi constituído basicamente por compostagem, biodigestão anaeróbica e retenção e desidratação do lodo. Foram realizados testes laboratoriais, onde foram avaliados parâmetros físicoquímicos e microbiológicos. A análise de viabilidade econômica do STRSE foi amparada na técnica de orçamento de capital. O STRSE foi capaz de tratar os resíduos orgânicos e os efluentes tornando-os incapazes de causarem danos ambientais e sanitários. Houve também ganho social e redução de passivos ambientais. Na análise econômica, o STRSE levará cerca de nove anos para amortizar o capital investido.

Biografia do Autor

Evelyne Cazarotto Farezin

Acadêmica de Zootecnia – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Campus Palmeira das Missões-RS.

Juliana Sarubbi

Professora Adjunta do Departamento de Zootecnia e Ciência Biológicas - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Campus Palmeira das Missões-RS.

Jean Louis Rabello de Morais

Técnologo em Gestão Ambiental

Waldemar Hazoff Junior

Professora Adjunta do Departamento de Zootecnia e Ciência Biológicas - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Campus Palmeira das Missões-RS

Francisco Rafael Martins Soto

Professora Adjunta do Departamento de Zootecnia e Ciência Biológicas - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Campus Palmeira das Missões-RS.

Referências

1. Carvalho BV, Souza APM, Soto FRM. Avaliação de sistemas de gestão ambiental em granjas de suínos. Rev Ambiente Agua. 2015;10(1):164-71.
2. Bonamigo A, Melz MJ, Sehnem S, Wink CA. Manejo dos dejetos de suínos através do sistema de compostagem. Rev Agronegocio Meio Ambiente. 2014;7(3):659-81.
3. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (BR). Suínos. Brasília: MAPA; 2016.
4. Associação Brasileira de Proteína Animal. Relatório Anual 2015. São Paulo: ABPA; 2015.
5. Williams CMM. Technologies to mitigate environmental impact of swine production. Rev Bras Zootec. 2008;37:253-9.
6. Barbosa G, Langer M. Uso de biodigestores em propriedades rurais: uma alternativa à sustentabilidade ambiental. Unoesc Ciencia ACSA. 2011;2(1):87-96.
7. Meng J, Wang L, Liu X, Wu J, Brookes PC, Xu J. Physicochemical properties of biochar produced from aerobically composted swine manure and its potential use as an environmental mendment. Bioresour Technol. 2013;142:641-6.
8. Palhares JCP, Miranda CR. Gestão ambiental na suinocultura: gestão ambiental da propriedade suinícola. Brasília: Embrapa suínos e aves; 2007.
9. Sá MF, Aita C, Doneda A, Pujol SB, Cantú RR, Jacques IVC, et al. Dinâmica da população de coliformes durante a compostagem automatizada de dejetos líquidos de suínos. Arq Bras Med Vet Zootec. 2014;66(4):1197-206.
10. Giusti L. A review of waste management practices and their impact on human health. Waste Manag. 2009;29(8):2227-39.
11. Silva CE, Hoppe AE. Diagnóstico dos resíduos de serviços de saúde no interior do Rio Grande do Sul. Eng Sanit Ambient. 2005;10(2):146-51.
12. Stefanini M, Moi PCP, Costa PX, Elias RM, Galvão ND, Silva AMC, et al. Responsabilidade sócio-ambiental do cirurgião dentista no gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde. Rev Eletronica Connection Line. 2013;10:2-15.
13. Silva ACN, Bernardes RS, Moraes LRS, Reis JDP. Critérios adotados para seleção de indicadores de contaminação ambiental relacionados aos resíduos sólidos de serviços de saúde: uma proposta de avaliação. Cad Saude Publica. 2002;18(5):1401-9.
14. Nascimento TC, Januzzi WA, Leonel M, Silva VL, Diniz CG. Ocorrência de bactérias clinicamente relevantes nos resíduos de serviços de saúde em um aterro sanitário brasileiro e perfil de susceptibilidade a antimicrobianos. Rev Soc Bras Med Trop. 2009;42(4):415-9.
15. Marinho RC, Oliveira RMS. Avaliação da qualidade do aterro sanitário de Palmas (TO), utilizando a ferramenta índice da qualidade de aterros de resíduos – IQA. Rev Nac Gerenc Cidades. 2013;1(2):123-41.
16. Soto FRM, Coelho CP, Benites NR, Bonamin LV, Melville PA. Elimination of E. coli from piglet carcases using an on-farm composting system. Vet Rec. 2010;166(18):564-5.
17. Sunada NS, Orrico ACA, Orrico Júnior MAP, Centurion SR, Oliveira ABM, Fernandes ARM, et al. Compostagem de resíduo sólido de abatedouro avícola. Cienc Rural. 2014;45(1):178-83.
18. Abreu PG, Pedroso-de-Paiva D, Abreu VMN, Coldebella A, Cestonaro T. Casca de arroz e palhada de soja na compostagem de carcaças de frango de corte. Acta Sci Anim Sci. 2011;33(1):51-7.
19. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2013. Abrelpe; 2013.
20. Machado NS, Silva JN, Oliveira MVM, Costa JM, Borges AC. Remoção do sulfeto de hidrogênio do biogás da fermentação anaeróbia de dejetos de suínos utilizando óxido de ferro, hidróxido de cálcio e carvão vegetal. Rev Energ Agric. 2015;30(4):344-56.
21. Souza CF, Santos CR, Campos JA, Mogami CA, Bressan WS. Potencial de dejetos suínos como substrato na biodigestão anaeróbia sob efeito de diferentes temperaturas e tempos de retenção hidráulica. Rev Ceres. 2005;52(300):255-65.
22. Suárez AG, Nielsen K, Köhler S, Morencio DO, Reyes IP. Enhancement of anaerobic digestion of microcrystalline cellulose (MCC) using natural micronutrient sources. Braz J Chem Eng. 2014;31(2):393-401.
23. Pereira MS, Godoy TP, Godoy LP, Bueno WP, Wegner RS. Energias renováveis: biogás e energia elétrica provenientes de resíduos de suinocultura e bovinocultura na UFSM. Rev Eletronica Gest Educ Tecnol Ambiental. 2015;19(3):239-47.
24. Manning DT, Hadrich JC. An evaluation of the social and private efficiency of adoption: Anaerobic digesters and greenhouse gas mitigation. J Environ Manag. 2015;154:70-7.
25. Maragno ES, Trombin DF, Viana E. O uso da serragem no processo de minicompostagem. Eng Sanit Ambient. 2007;12(4):355-60.
26. Soto FRM, Bernardi F, Camargo SR. Avaliação econômica e ambiental de sistema de tratamento de dejetos e carcaças em uma granja comercial de suínos. Vet Zootec. 2007;14(2):246-51. 27. Gitman LJ. Princípios de administração financeira. 10a ed. São Paulo: Pearson Education; 2004.
28. Cooperativa de Eletrificação de Ibiúna. Ibiúna: CETRIL; 2016.
29. Conselho Nacional do Meio Ambiente (BR). Resolução nº 430, de 13 de Maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução nº 357, de 17 de Março de 2005, do Conselho Nacional do Meio AmbienteCONAMA. Diário Oficial da União. 16 Maio 2011.
30. Whitehead DC. Grassland nitrogen. Wallingford: CAB International; 1995.
31. Montoro SB, Santos DFL, Junior JL. Análise econômica de investimentos que visam à produção de biogás e biofertilizante por meio de biodigestão anaeróbia na bovinocultura de corte. RAUnP. 2013;5(2):23-34.
32. Gessner R, Piosiadlo LCM, Fonseca RMGS, Larocca LM. O manejo dos resíduos dos serviços de saúde: um problema a ser enfrentado. Cogitare Enferm. 2013;18(1):117-23.
33. Duda RM, Oliveira RA. Reatores anaeróbios operados em batelada sequencial seguidos de lagoas de polimento para o tratamento de águas residuárias de suinocultura. Parte II: remoção de nutrientes e coliformes. Eng Agric. 2009;29(1):135-47.
34. Orrico Junior MAP, Orrico ACA, Lucas Junior J, Sampaio AAM, Fernandes ARM, Oliveira EA. Biodigestão anaeróbia dos dejetos da bovinocultura de corte: influência do período, do genótipo e da dieta. Rev Bras Zootec. 2012;41(6):1533-8.
35. Westrup G, Duarte GW, Alberton J, Niehues RC, Rocha DA, Vandresen S. Estudo da viabilidade econômica de geração de energia elétrica a partir de biogás proveniente de dejetos de suínos de uma propriedade rural em Forquilhinha/SC. Revista Ciência e Cidadania. 2015;1(1):19-37.
36. Silva PC, Amaral AA. Tratamento de dejetos suínos com biorreator UASB. Rev Verde Agroecologia Desenvolv Sustent. 2013;8(5):141-7.
37. Santos LD, Mayerle SF, Campos LMS. Tecnologias e sistemas de tratamento para os dejetos da suinocultura. Rev Verde Agroecologia Desenvolv Sustent. 2014;9(5):12-8.
38. Cardoso BF, Oyamada GC, Silva CM. Produção, tratamento e uso dos dejetos suínos no Brasil. Desenvolv Quest. 2015;13(32):127-45.
39. Miele M, Silva MLB, Nicoloso RS, Corrêa JC, Higarashi MM, Kunz A, et al. Tratamento dos efluentes de usinas de biogás. Rev Polit Agric. 2015;24(1):31-46.
Publicado
04-12-2018
Como Citar
Farezin, E. C., Sarubbi, J., Morais, J. L. R. de, Junior, W. H., & Soto, F. R. M. (2018). Análise ambiental, sanitária e econômica de um sistema de tratamento de resíduos sólidos e efluentes em uma granja de suínos. Veterinária E Zootecnia, 25(1), 164-172. https://doi.org/10.35172/rvz.2018.v25.17
Seção
Artigos Originais