Soroepidemiologia e distribuição espacial da infecção por Leptospira spp. em caprinos do Estado de Pernambuco, Brasil

  • Acidalia Claudino Machado Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Luenda de Menezes Novaes e Sá Professora no Instituto Federal do Sertão Pernambucano – Campus Floresta Titulação: Mestre em Sanidade e Reprodução de Ruminantes/UFRPE https://orcid.org/0000-0003-0848-4567
  • Junior Mário Baltazar de Oliveira Professor e Coordenador no Centro Universitário Vale do Ipojuca UNIFAVIP / WYDEN. Titulação: Doutor em Medicina Veterinária https://orcid.org/0000-0003-2655-2797
  • Nivaldo Aparecido de Assis Assistente de Suporte Acadêmico II da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Titulação: Especialização em Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável https://orcid.org/0000-0001-5457-5908
  • Luís Antônio Mathias Professor Titular da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Titulação: Doutor em Microbiologia https://orcid.org/0000-0001-7282-3071
  • Daniel Friguglietti Brandespim Professor Associado Universidade Federal Rural de Pernambuco Titulação: Doutor em Medicina Veterinária Preventiva https://orcid.org/0000-0002-9690-7859
  • Rinaldo Aparecido Mota Professor Titular na Universidade Federal Rural de Pernambuco Titulação: Pós-doutor em Doenças Parasitárias de Ruminantes https://orcid.org/0000-0002-2844-5509
  • José Wilton Pinheiro Júnior Professor Associado II na Universidade Federal Rural de Pernambuco Titulação: Doutor em Ciência Veterinária https://orcid.org/0000-0003-4654-4612
Palavras-chave: epidemiologia, leptospirose, caprinocultura

Resumo

RESUMO: Objetivou-se com este trabalho analisar os aspectos epidemiológicos relacionados à infecção por Leptospira spp. em caprinos no Agreste e do Sertão do Estado de Pernambuco, Brasil. Foram coletadas 476 amostras de animais com idade igual ou superior a um ano, não vacinados. A pesquisa de anticorpos foi realizada pela técnica de Soroaglutinação Microscópica (SAM). Para o estudo dos fatores de risco aplicou-se um questionário investigativo padronizado, constituído por perguntas objetivas ao criador, referentes às características de manejo produtivo, reprodutivo e sanitário. Das 476 amostras analisadas, 27,3% (130/476; I.C. 23,4% - 31,6%) foram positivas. Em relação às propriedades, observou-se que 87,5%, apresentaram ao menos um animal positivo. O sorovar mais prevalente foi o Autumnalis (54,1%), que também apresentou maior distribuição nos diferentes pontos de estudo. Na análise de fatores de risco, o variável sexo (macho) apresentou diferença significativa (OR=0,40; I.C. 0,18 – 0,88; p=0,023). Observou-se neste estudo uma elevada prevalência da infecção por Leptospira spp. em caprinos e que a mesma ocorre nas diferentes regiões do estudo. Desta forma, sugere-se que medidas de profilaxia sejam implementadas visando à redução da prevalência nos rebanhos e consequentemente perdas econômicas para o produtor, assim como risco para Saúde Pública.

Publicado
18-09-2019
Como Citar
Machado, A. C., Sá, L. de M. N. e, Oliveira, J. M. B. de, Assis, N. A. de, Mathias, L. A., Brandespim, D. F., Mota, R. A., & Pinheiro Júnior, J. W. (2019). Soroepidemiologia e distribuição espacial da infecção por Leptospira spp. em caprinos do Estado de Pernambuco, Brasil. Veterinária E Zootecnia, 26, 1-9. https://doi.org/10.35172/rvz.2019.v26.352
Seção
Artigos Originais