COMPARAÇÃO ENTRE A TÉCNICA DE OPG PADRÃO E SUAS MODIFICAÇÕES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35172/rvz.2023.v30.1001

Palavras-chave:

OPG, ovinocultura, endoparasitas, exame coproparasitológico

Resumo

As parasitoses gastrintestinais são as infecções estabelecidas no tubo gastrintestinal, e podem ser causadas por parasitos como os helmintos e coccídeos. O diagnóstico desses parasitas pode ser realizado de diversas maneiras e técnicas, sendo a mais conhecida, prática e rápida a técnica popularmente conhecida como método OPG, que determina o número de ovos do parasita por grama de fezes para calcular a carga parasitária do animal. O OPG apesar de ser a técnica mais utilizada, apresenta muita variabilidade nos resultados e diversas modificações foram descritas a fim de melhorar a eficiência da técnica. Por isso, o objetivo deste trabalho foi comparar modificações das técnicas que resultam no número de OPG para determinar se alguma das modificações se equipara ao resultado da técnica padrão. Para seu desenvolvimento foi realizada a coleta de um pool de amostras de animais da espécie ovino, naturalmente infectados por helmintos; as amostras foram processadas por quatro modificações da técnica padrão, conhecido como o “Método de Gordon e Whitilock modificado”, utilizando-se a câmara McMaster, a fim de tentar estimar a carga parasitária dos animais. Para cada técnica foram feitas cinco repetições utilizando a mesma amostra fecal homogeneizada, em todas as repetições e em todas as técnicas. Concluímos que a técnica padrão mostrou ser a técnica mais eficiente e viável, visto que os seus resultados diferiram estatisticamente das demais técnicas mesmo que algumas modificações produzam uma menor quantidade de resíduo ou que necessitem uma menor quantidade de amostra.

Referências

RAMOS F. et al. Epidemiologia das helmintoses gastrintestinais de ovinos no Planalto Catarinense. Ciên. Rur. 2004; 34(6): 1889-1895. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-84782004000600034

AMARANTE AFT. Controle integrado de helmintos de bovinos e ovinos. Rev. Bras. Parasitol. Vet. 2004; 13(1): 68-71.

COSTA FSM. Dinâmica das infecções por helmintos gastrintestinais de bovinos na região do vale do Mucuri, Mg [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Instituto de Ciências Biológicas da UFMG; 2007.

WEST DM et al. Estimating the cost of subclinical parasitism in grazing ewes. Small Rum. Res. 2009; 86(1): 84-86. DOI: https://doi.org/10.1016/j.smallrumres.2009.09.024

SUTHERLAND IA, SCOTT I. Gastrointestinal nematodes of sheep and cattle. Biol. and Control. 2010; 242p.

SUAREZ VH. Helminthic control on grazil ruminants and environmental risks in South America. Vet. Res. 2002; 33: 563-573. DOI: https://doi.org/10.1051/vetres:2002039

GIRÃO ES, LEAL JA. Diagnóstico de verminoses em ruminantes. 42th ed. Teresina: Embrapa Informação Tecnológica; 1999.

GORDON HM, WHITLOCK HV. A new technique for counting nematode eggs in sheep feces. J. Coun. Sci. Ind. Res. Anst. 1939; 12: 50-52.

RINALDI L et al. Comparison of individual and pooled faecal samples in sheep for the assessment of gastrointestinal strongyle infection intensity and anthelmintic drug efficacy using McMaster and Mini-FLOTAC. Vet. Paras. 2014; 205(1-2): 216-223. DOI: https://doi.org/10.1016/j.vetpar.2014.06.011

AMARANTE AFT & AMARANTE MRV. Advances in the diagnosis of the gastrointestinal nematode infections in ruminants. Braz. Jour. of Vet. Res. and Anim. Sci. 2016; 53:127-137. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.v53i2p127-137

UENO H & GONÇALVES PC. Manual para Diagnóstico das Helmintoses de Ruminantes. 4th ed. Tokyo: JICA; 1998.

TAYLOR MA. Parasitologia veterinária. 4ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017. Diagnóstico laboratorial de parasitismo: método de mcmaster modificado melhorado. p. 254.

MONTEIRO SG. Parasitologia na Medicina Veterinária. 2ª ed. Rio de Janeiro: Roca; 2017. Técnicas laboratoriais.. Cap. 33, 334-343.

MOLENTO MB, NICIURA SCM, CHAGAS ACS. Protocolos básicos de laboratório para a realização de metodologias fenotípicas e genotípicas. In: MOLENTO MB. MANUAL PRÁTICO: Metodologias de diagnóstico da resistência e de detecção de substâncias ativas em parasitas de ruminantes; 2011. p. 117-153.

SANDES HMM et al. Comparação entre a técnica de sheather modificada e a técnica de opg no exame coproparasitológico de ovinos. In: XI JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX 2011, 11., 2011, Recife. JEPEX 2011. Recife: Ufrpe, 2011. p. 1-3.

SANTOS KR et al. 2020. Comparação entre três técnicas coproparasitológicas na investigação de parasitos intestinais de seres humanos. Revis. Elet. Acerv. Saú. 2020; (52). DOI: https://doi.org/10.25248/reas.e3521.2020

ABIDU-FIGUEIREDO M, REINECKE RK, SERRAFREIRE NM. 2008. Comparação entre três técnicas coproparasitológicas para a contagem de ovos de nematóides gastrintestinais de suínos. Revis. de Ciên. & Tecno. 2008; 8(1).

Downloads

Publicado

2023-01-10

Como Citar

1.
Santos Cardoso T, Taipeiro Corrêa G, Grando TH, Caramori CH, Braz PH. COMPARAÇÃO ENTRE A TÉCNICA DE OPG PADRÃO E SUAS MODIFICAÇÕES. RVZ [Internet]. 10º de janeiro de 2023 [citado 26º de maio de 2024];30:1-6. Disponível em: https://rvz.emnuvens.com.br/rvz/article/view/1001

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)