PERFIL DO CONSUMIDOR DE OVOS DE GALINHA NO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA-MS

Palavras-chave: alimentação, avicultura, consumo de ovos, pontos de venda, questionário.

Resumo

Objetivou-se avaliar o perfil dos consumidores de ovos do município de Aquidauana-MS. A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas com consumidores diretamente nos postos de venda, localizados em diferentes pontos da cidade mediante a aplicação de um questionário previamente definido. Verificou-se que a grande maioria dos entrevistados era do sexo feminino (72,5%), com idade entre 21 a 40 anos (47,5%), com grau de instrução referente ao ensino superior completo (28%) e renda familiar próxima a três salários mínimos (50,5 %). A maioria dos entrevistados consome ovos três vezes por semana, preferencialmente fritos (44%) e avaliam a validade do produto na hora da compra (66,8%). A maior parte da população entrevistada preferem ovos de casca vermelha (66,5%), embora não achem que a cor da casca afete no seu valor nutricional (58,9%). Ainda que 58% dos consumidores entrevistados tenham afirmado que a cor da gema influencia o valor nutricional do ovo, 59,3% não tem preferência por essa característica. Observou-se percentual significativo (71%) de consumidores que não possuem conhecimento do valor nutricional, mas que afirmam que o consumo de ovos não faz mal à saúde (67%). Conclui-se que na cidade de Aquidauana-MS há um satisfatório consumo de ovos, no entanto, detectou-se que há algumas informações básicas que os entrevistados demonstraram não possuir conhecimento, deste modo, torna-se necessário a divulgação e esclarecimento dessas por meio dos rótulos das embalagens dos ovos, Marketing criativos nos estabelecimentos de venda, exposição de banners, elaboração de folders e panfletos, e criação de páginas virtuais, possibilitando uma maior expansão informativa a respeito do ovo para a população Aquidauanense.

Referências

1. Stefanello C.; Análise do sistema agroindustrial de ovos comerciais. Revista Agrarian. 2011; v.4 (14):375-382.
2. Oliveira C. Alimentação. Ovo: consumo com segurança. A Lavoura. 2012; v.115 (691):54 - 57.
3. Donato DCZ, Gandra ÉRS, Garcia PDSR, Reis CBM, Gameiro AH. A questão da qualidade no sistema agroindustrial do ovo. In: Anais da 47º. Congresso da Sociedade brasileira de economia, administração e sociologia rural; 26-30 jul. 2009; Porto Alegre (RS): Sober; 2009.
4. Moura AMA, Oliveira NTE, Thiebaut JTL, Melo TV. Efeito da temperatura de estocagem e do tipo de embalagem sobe a qualidade interna de ovos de codorna japonesas (Coturnix japonica). Cienc. Agrotec. 2008; v.32(2): 578-583.
5. Mattar FN. Pesquisa de Marketing. Ed. completa. São Paulo: Atlas; 1996.
6. Williamson OE. The new institutional economics: taking stock, looking ahead. Journ. of Econ. Lit. 2000; v.38 (3):595-613.
7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010 [internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2010 [cited 2020 Mar 25]. Available from: .
8. Malhotra N. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 3.ed.Porto Alegre: Bookman; 2001.
9. Pinheiro CD, Lírio VS. Fatores condicionantes da demanda de carne suína no município de Viçosa–MG. Rev. Econom. da UMA. 2003; v.8 (2):43-66.
10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estatística de gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil. Estudos e Pesquisas Informação Demográfica e Socioeconômica. 2018; n.38 :13.
11. Associação Brasileira de Proteína Animal. Relatório anual: produção Brasileira. São Paulo; 2019 [cited 2020 mar 28]. Available from: .
12. Silva M. B, Raposo JDAS, Ramos LSN. Consumidores de ovos de galinha do município de Teresina, PI. Rev. Bras. Pesq. Alimentos. 2015; v.6 (1):56-63.
13. Vivas DN, Pantolfi N, Diniz RF, Silva Junior CD, Rubio MS, Laurentiz AC. Perfil do consumidor de ovos de poedeiras comerciais no município de Ilha Solteira-SP. Anais do VII ENCIVI, 2013. [cited 2020 mar 28]. Available from: .
14. Novello D, Quintiliano PFDA, Ost PR. Ovo: Conceitos, análises e controvérsias na saúde humana. Arch. Latinoam Nutr. 2006; v.56 (4): 315-20.
15. Fernandes MR, Souza AV, Maciel MLS, Morais MVM, Pimenta GF, Pereira LGB, Rodrigues TJA. Perfil do consumidor de ovos de poedeiras comerciais no município de machado-MG. In: Anais do zootecnia Brasil; 27-30 ago. 2018; Goiânia (GO): PUC- GO; 2019.
16. BRASIL. Decreto 56.585, 20 jul. 1965. Aprova as novas especificações para a classificação e fiscalização do ovo. Diário Oficial da União - Seção 1 – 22 jul. 1965; 6954.
17. Freitas LW, Paz ICLA, Garcia RG, Caldara FR, Seno LO, Felix GA, Lima NDS, Ferreira VMOS, Cavichiolo F. Aspectos qualitativos de ovos comerciais submetidos a diferentes condições de armazenamento. Rev.Agrarian. 2011; v.4 (11):66-72.
18. Araujo WAG, Albino LFT. Comercial Incubation. Trivandrum, Kerala, INDIA: Transworld Research Network; 2011.
19. Oliveira HF, Carvalho DP, Ismar MG, Pedro Moraes Rezende PM, Camargo SMP, Souto CN, Oliveira SB. Fatores intrínsecos a poedeiras comerciais que afetam a qualidade físico-química dos ovos. Pubvet. 2020; v.14 (3): 1-11.
20. Benelam B, Roe M, Pinchen H, Church S. New data on the composition of UK hens’ eggs. Br Nutr Found Nutr Bull. 2012; v. 37 (4): 344–349.
21. Ziggers D. Astaxantina: Un corante y ademas saludable. Avicultura Professional. 2000, 20(8): 12-13.
22. Bertechini AG. Nutrição de Monogástricos. 2ª ed. Lavras: Editora UFLA; 2012.
23. Garcia EA, Mendes AA, Pizzolante CC, Gonçalves HC, Oliveira RP, Silva MA. Efeito dos níveis de cantaxantina na dieta sobre o desempenho e qualidade dos ovos de poedeiras comerciais. Rev. Bras. de Ciênc. Avícola. 2002; 4(1):1-7.
24. Lopes EC, Oliveira CRC, Chung S, Luz WAS, Araújo ÍIM, Souza JG. Perfil do Consumidor de Ovos de Galinha na Cidade de Natal – RN. In: Anais do XI Congresso Internacional de Zootecnia, 18-22 mai. 2009; Águas de Lindóia(SP); 2009. p. 01-03.
25. Nunes EAC; Patrício PFMM, Patrício LAMM, Andrade ARS, Brasil KQ. Análise Estatística da Qualidade de Ovos Vermelhos, Comercializados nos Município de Angelim, Garanhuns, Lagoa do Ouro e São João – PE. In: Anais da IX Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão – JEPEX; 2009, Recife-PE: Universidade Federal Rural de Pernambuco; 2009.
26. Griffin BA. Eggs: good or bad. Proc. Nutr. Soc. 2016; v. 75 (3): 259-64.
27. Rong Y, Chen L, Zhu T, Canção Y , Yu M , Shan Z , Sands A , Hu FB, Liu L. Egg consumption and risk of coronary heart disease and stroke: dose-response meta-analysis of prospective cohort studies. BMJ. 2013; 346:e8539.
28. Tran NL, Barraj LM, Heilman JM, Scrafford CG. Egg consumption and cardiovascular disease among diabetic individuals: a systematic review of the literature. Diab Metab Syndr Obes. 2014; v. 7: 121–137.
29. Barraj L, Tran N, Mink P. A comparison of egg consumption with other modifiable coronary heart disease lifestyle risk factors: a relative risk apportionment study. Risk Analysis. 2009; 29 (3): 401-415.
Publicado
23-02-2021
Como Citar
1.
Souza Sanches D, de Moraes Garcia ER, da Cunha de Andrade G, Ramos de Ávila L. PERFIL DO CONSUMIDOR DE OVOS DE GALINHA NO MUNICÍPIO DE AQUIDAUANA-MS. RVZ [Internet]. 23º de fevereiro de 2021 [citado 13º de maio de 2021];28:1-10. Disponível em: https://rvz.emnuvens.com.br/rvz/article/view/508
Seção
Artigos Originais